Ilustração: por onde começar e como se encontrar como ilustrador

Tipo de atividade: Dedo de Prosa

Este atividade já aconteceu.

Receba um email avisando quando uma nova edição for programada e garanta um desconto especial.

Válido para os primeiros 10 interessados.

Nova edição: me avise

Fique tranquilo(a)

Você será avisado(a) em primeira mão quando uma nova edição desta atividade for agendada e ainda garante um desconto extra.
Válido para os primeiros 10 interessados.

Ficha técnica

  • Dias da atividade:
  • 15 de março, 2018
Icone local
Local:
Centopeia – Sala Aquário

Abrir no Google Maps Abre em nova janela
  • Victor Rocha
    Tatuador e ilustrador. Expandir texto

    Curriculo – Victor Rocha

    Formado em Design Gráfico pela Universidade Federal de Goiás, é cofundador do estúdio de ilustração Bicicleta Sem Freio, do qual fez parte até 2014, quando decidiu se dedicar integralmente à tatuagem. Divide seu tempo entre a agenda em seu estúdio em Goiânia, batizado ironicamente de Dolorosa, as viagens para tatuar em outros Estados e os shows da banda Black Drawing Chalks. Sua principal influência na tatuagem é o estilo tradicional.

    Fechar

Mais informações

"Sempre desenhei desde pequeno e a minha maior insegurança era se eu um dia daria conta de me sustentar, pagar minhas contas e viver uma vida legal fazendo isso." (Victor Rocha)

Se você desenha por amor e quer tornar isso o seu ganha-pão, é preciso ter muita dedicação. Nem só de ideias vive um artista. É preciso desenvolver sua destreza, suas habilidades, se renovar e praticar muito para se tornar um ilustrador que consiga atrair sempre bons trabalhos e, ao mesmo tempo, não estragar o prazer em fazer aquilo com a pressão do dia a dia.

Compartilhar experiências sempre nos motiva e nos ajuda a entender como somos diante de um zilhão de mentes e ideias diferentes, procurando nos encontrar como artistas e/ou artesãos!

Nesse bate papo o objetivo principal é despertar o interesse e incentivar qualquer um que gosta de desenhar, seja profissionalmente ou naqueles minutos off do cotidiano.